terça-feira, 11 de setembro de 2007


Saimos da festa de madrugada e em nossos olhos o desejo já era visível. O jogo de sedução que há dias havia começado estava nos deixando mais e mais com vontade de irmos mais adiante.

O lugar onde o carro estava estacionado era ermo e escuro. Aquela hora não havia mais nenhum carro estacionado por perto.

Entramos no carro e logo começamos a nos beijar com sofreguidão, enquanto nossas mãos exploravam o corpo um do outro. Ao passar a mão senti que o pau dele já estava duro. Já havia sentido em outra ocasião quando nos beijamos e nos esfregamos muito, só que dessa vez dava para perceber melhor o tamanho, a grossura e a rigidez. Nada melhor do que um pau que fica duro como pedra. Hummmm, adoro isso.

Baixamos o banco do carro e ele tirou minha blusa e caiu de boca nos meus seios mamando-os deliciosamente. Minha excitação já estava em ponto máximo e eu sentia a calcinha ficar encharcada de tão molhada que a buceta estava.

Enquanto ele chupava e lambia meus seios abri a calça dele e puxei o pau para fora. Senti que além de duro estava muito quente. Disse-lhe num sussuro que queria chupá-lo e ele deu um sorriso lindo... ah, o sorriso dele me desmonta toda, me deixa com as pernas bambas. Cai de boca naquele pau gostoso, chupando-o com vontade enquanto ele gemia alto dizendo o quanto eu chupo bem.

Continuei chupando enquanto ele começou a bolinar minha buceta com os dedos, afastando a lateral da minha calcinha para o lado. Senti os seus dedos entrando em mim e se movimentando em um vai e vem calmo, ritmado e delicioso. O prazer foi aumentando e começei a gemer alto e gozei derramando o meu gozo nas mãos dele.

Ele tirou minha calcinha e minha saia e fiquei completamente nua dentro do carro. Ele passou para o banco do carona e pediu para eu montar em cima dele. Não me fiz de rogada e antes que terminasse o pedido já estava eu abocanhando aquele pau duro com a minha buceta faminta e sedenta por senti-lo todo dentro de mim. Montei com vontade, engolindo de uma vez só aquele pau grosso e quente até o talo, sentindo-o pressionar lá no fundo da minha buceta.

Começei a cavalgá-lo de modo selvagem enquanto ele segurava forte minha bunda, dando uns tapinhas deliciosos. Me excitava cada vez mais a medida em que escutava as palavras obscenas e maravilhosas, mas ditas envoltas em um tom de carinho e olhando-me nos olhos. Minha buceta explodia de tão gostosa que estava a nossa foda e derramava em cima dele o líquido dos meus gozos sucessivos e cada vez mais fortes.

De repente ele segurou minha cintura e com seus braços fortes fez meu corpo escorregar por cima do dele até que minha buceta alcançou seu rosto. Nunca imaginei ser possível fazer um malabarismo desse dentro de um carro. Me apoiei com os braços no banco de trás e me arreganhei toda no momento em que ele começou a chupar forte o meu grelo, que a essa altura da foda estava entumescido e latejando de tanto que eu já havia gozado. Senti um choque forte percorrer o meu corpo todo e continuei gozando sem parar. Meu corpo todo tremia de tanto prazer. Ele alternava a ação entre chupar meu grelinho e beber o gozo que saia de dentro de mim.

Não satisfeito com o tanto que me havia feito gozar com a chupada começou a me foder com os dedos, só que dessa vez, como eu estava toda arreganhada e por cima dele, com uma mão ele entrava na minha buceta e com a outra no meu cuzinho enquanto falava: "Vai minha putinha, vai, goza muito pro teu macho, goza." "Que fêmea deliciosa, que buceta maravilhosa, que cuzinho apertadinho e gostoso". "Goza mais minha fêmea, me molha todo com o teu gozo".

E eu gozei pelo menos mais 5 vezes até que senti que não tinha mais forças para continuar me apoiando no banco de trás e cai, literalmente, em cima dele, pedindo-lhe para parar. Ele me puxou para baixo e ficamos abraçados por um tempo.

Quando recuperei as forças falei para ele que queria ve-lo gozar, queria ver o leitinho dele jorrar na minha cara. Me abaixei e começei a chupá-lo com muita vontade e quando percebi que ele já ia gozar pedi que continuasse com a mão, se masturbando. Ele gozou e eu recebi com um sorriso nos lábios aquela porra toda no meu rosto.

Ficamos ali dentro do carro abraçados até recuperarmos as forças para nos vestir e seguir para casa.



9 comentários:

azzurra_team disse...

Fiquei impressionado com a narrativa da estória... parecia que estava vendo os personagens fluirem à minha frente. Gostei do seu perfil e acredito que me encaixe no que vc procura. Olhe meu sexlog e entre em contato se quiser...
www.sexlog.com.br/azzurra

Moura ao Luar disse...

Ui delícia fiquei com a maior vontade de sair de casa e repetir esse cenário

João disse...

Olá
Adorei.
Tnh a dizer que não há direito.Sempre que cá venho fico com um tesão...
Beijinhos

beto disse...

Você é mesmo maravilhosa. Fico imaginando o dia em que vai afinal se dispor a ser minha amiga. Estreitarmos relacionamento. Tens a alma sensivel...Um beijo. Tobaramante.

Anônimo disse...

Olá meu anjo. Tenho 47 anos, sou jornalista e trabalho em Botafogo. Quero conversar com você. jornalista99@yahoo.com.br
bj

"Minhas Lindas" disse...

CAliente!

Bjkas e passa no nosso?

Desejos Intensos disse...

Recado para Jornalista99:
mandei email mas o endereço é invalido...

Alencar disse...

Adoro ler e escrever contos eróticos, vamos manter contato por e-mail, gostaria de te enviar os meus contos.
Aguardo uma resposta.

Bjs

Alencar
alencar.rj@gmail.com

Anônimo disse...

Uma das mehores transas da minha vida foi com um cara que eu gostava qdo adolescente, mas viemos a transar depois de adultos.
Ele tinha chegado na minha cidade, fazia muitos anos que não nos víamos, tinha encontrado ele na rua num final de semana.Ele me deu seu telefone, mas eu nem liguei muito.
Passado umas semanas fui até a casa dele e ficamos batendo papo, então ele me chamou pra dar uma volta e fomos no carro dele. Ele passou na farmácia e disse que era pra comprar um remédio e fomos. Paramos em um uma praça e ficamos conversando dentro do carro, foi então que ele me beijou e comecei a passar a mão na cocha dele e depois no pau...percebi então que o remédio que ele havia comprado era camisinha e fiquei mais excitada....ele colocou a mão por debaixo do meu vestido e sapecou o meu clitóris, mas eu já estava toda melada...comecei a chupar o pau dele e ele pediu pra eu ficar de 4 com as pernas cada uma em um banco do carro e me inclinar um pouco pra frente.
Meu Deus...eu nunca senti um pau entrar tão fundo e tão gostoso na minha buceta.
Era um pau grande, muito grosso e gostoso.
Ficamos um pouco naquela posição, depois sentei no colo dele subindo e descendo e finalmente saímos pra fora do carro, eu com as mãos no capô e ele por trás.....nós e o luar.....então gozamos.